Igreja

Rádio GOTHMLP

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Luta, ressurreição e esperança

Na luta que todos nós devemos enfrentar, Maria não nos deixa sozinhos. Ela está sempre conosco, nos acompanha e nos sustenta no combate contra as forças do mal.

No final da Constituição sobre a Igreja, o Concílio Vaticano II deixou- -nos uma meditação belíssima sobre Maria Santíssima. Destaco apenas as expressões que se referem ao mistério que celebramos hoje. A primeira é esta: "A Virgem Imaculada, preservada, imune de toda a mancha de culpa original, terminado o curso da vida terrena, foi elevada ao Céu em corpo e alma e exaltada por Deus como Rainha" (Lumen gentium, n.59). Em seguida, perto do final do documento, encontramos esta expressão: "A Mãe de Jesus, assim como, glorificada já em corpo e alma, é imagem e início da Igreja que há de se consumar no século futuro, assim também na Terra brilha como sinal de esperança segura e de consolação, para o Povo de Deus ainda peregrinante, até que chegue o dia do Senhor" (Idem, n.68).
À luz deste belíssimo ícone de Nossa Mãe, podemos considerar a mensagem contida nas Leituras bíblicas que acabamos de ouvir. Podemos nos concentrar em três palavras-chave: luta, ressurreição e esperança.

O Terço nos sustenta na batalha conta o mal
A passagem do livro do Apocalipse apresenta a visão da luta entre a mulher e o dragão. A figura da mulher, que representa a Igreja, é por um lado gloriosa, triunfante, e por outro ainda se encontra em dificuldade. De fato, assim é a Igreja: se no Céu já está associada com a glória de seu Senhor, na História enfrenta constantemente as provações e desafios que supõe o conflito entre Deus e o maligno, o inimigo de todos os tempos. E, nesta luta que os discípulos devem enfrentar - todos nós, todos os discípulos de Jesus devemos enfrentar esta luta - Maria não os deixa sozinhos; a Mãe de Cristo e da Igreja está sempre conosco. Sempre caminha conosco, está conosco.

Maria também, em certo sentido, compartilha esta dupla condição. Ela, é claro, entrou definitivamente na glória do Céu. Mas isso não significa que Ela esteja longe, que esteja separada de nós; na verdade, Maria nos acompanha, luta conosco, sustenta os cristãos no combate contra as forças do mal.
Papa_Francisco.jpg
"A oração com Maria, especialmente o Terço, nos dá apoio na luta contra
o maligno e seus aliados"


Acima e na página seguinte: dois aspectos da Homilia durante
a Missa celebrada frente ao Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, 15/8/2013
A oração com Maria, especialmente o Terço - Atenção: o Terço! Rezais o Terço todos os dias? Mas, não sei não... [os fiéis gritam: sim!] Sério? - Bem, a oração com Maria, especialmente o Terço, também tem essa dimensão "agonística", ou seja, de luta, uma oração que dá apoio na luta contra o maligno e seus aliados. O Terço também nos sustenta nesta batalha.

A humanidade da Mãe foi "atraída" pelo Filho
A segunda Leitura fala da ressurreição. O Apóstolo Paulo, escrevendo aos Coríntios, insiste no fato de que ser cristão significa acreditar que Cristo ressuscitou verdadeiramente dos mortos. Toda a nossa Fé se baseia nesta verdade fundamental, que não é uma ideia, mas um evento. E o mistério da Assunção de Maria em corpo e alma também está inteiramente inscrito na Ressurreição de Cristo.

A humanidade da Mãe foi "atraída" pelo Filho na sua passagem através da morte. Jesus entrou de uma vez por todas na vida eterna com toda a sua humanidade, a qual Ele recebera de Maria. Assim, Ela, a Mãe, que O seguira fielmente durante toda a sua vida, tinha-o seguido com o coração, entrou com Ele na vida eterna, que também chamamos de Céu, Paraíso, Casa do Pai.
Maria também conheceu o martírio da Cruz: o martírio do seu coração, o martírio da alma. Ela sofreu tanto, no seu coração, enquanto Jesus sofria na Cruz. Ela viveu a Paixão do Filho até o fundo de sua alma. Ela estava totalmente unida com Ele na morte, e por isso foi-lhe dado o dom da ressurreição. Cristo como primícias dos ressuscitados, e Maria como primícias dos redimidos, a primeira daqueles "que pertencem a Cristo". Ela é nossa Mãe, mas também podemos dizer que é nossa representante, nossa irmã, nossa primeira irmã; Ela é a primeira entre os redimidos que chegou ao Céu.

Se não há esperança, nós não somos cristãos
O Evangelho nos sugere uma terceira palavra: esperança. A esperança é a virtude daqueles que, experimentando o conflito, a luta diária entre a vida e a morte, entre o bem e o mal, creem na Ressurreição de Cristo, na vitória do Amor.

Escutamos o canto de Maria, o Magnificat: é o cântico da esperança, é o cântico do Povo de Deus no seu caminhar através da História. É o cântico de muitos santos e santas, alguns conhecidos, outros - muitíssimos - desconhecidos, mas bem conhecidos por Deus: mães, pais, catequistas, missionários, padres, freiras, jovens, e também crianças, avôs e avós; eles enfrentaram a luta da vida, levando no coração a esperança dos pequenos e dos humildes.

Maria diz: "A minha alma engrandece ao Senhor" - também hoje a Igreja canta isso, e o canta em todas as partes do mundo. Este cântico é particularmente intenso onde o Corpo de Cristo hoje está sofrendo a Paixão. Onde está a Cruz, para nós cristãos, há esperança, sempre. Se não há esperança, nós não somos cristãos. Por isso gosto de dizer: não deixeis que vos roubem a esperança. Que não nos roubem a esperança, porque esta força é uma graça, um dom de Deus que nos leva para frente, olhando para o Céu. E Maria está sempre lá, próxima dessas comunidades, desses nossos irmãos, caminhando com eles, sofrendo com eles, e cantando com eles o Magnificat da esperança.
Queridos irmãos e irmãs, unamo-nos com todo o coração a este cântico de paciência e de vitória, de luta e de alegria, que une a Igreja triunfante com a Igreja que peregrina, ou seja, nós; que une a Terra com o Céu, que une a nossa história com a eternidade, para a qual caminhamos. Assim seja. Homilia na Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, 15/8/2013 - Revista Arautos do Evangelho, Outubro/2013, n. 142, p.6-7

“Quem se ajusta à vontade soberana de Deus, tem lugar em seu reino”

Uberaba - Minas Gerais (Quarta-feira, 30-10-2013, Gaudium Press) "Só tem sentido falar de 'santo' se fazemos referência a Deus, tendo Jesus Cristo como critério de santidade", expressou o Arcebispo de Uberaba (MG), Dom Paulo Mendes Peixoto, em artigo publicado pela imprensa.dom_paulo_mendes_peixoto.jpg
Destacando a celebração do dia de Todos os Santos, Dom Peixoto usou o exemplo do Nosso Senhor Jesus Cristo para sintetizar seus pensamentos sobre o verdadeiro valor da santidade.

De acordo com o prelado, Jesus, além de ter testemunhado a prática das bem-aventurança na convivência de seu tempo, "foi capaz de enfrentar os caminhos da vida, seja no sofrimento, como também nas alegrias, colocando sua vida como doação para o bem das pessoas e do mundo".

A santidade, segundo o Bispo, se origina a partir de "uma consciência convicta de pertencer a Jesus Cristo e de colocar tudo na vida como prática de amor a Deus", pois "ela vem da consciência fraterna na comunidade, do respeito e do valor que damos às realidades que nos cercam", revestida de um "estilo de vida marcado pela esperança, pela mansidão, pela misericórdia e pureza".

"Podemos dizer que os santos são os bem-aventurados, os felizes, que conseguiram prosseguir na vida mesmo tendo que enfrentar dificuldades e sofrimentos. Estão sempre apoiados em Deus e não simplesmente nas coisas materiais, naquilo que é passageiro e que não satisfaz plenamente os desejos do coração das pessoas", explicou.

Para Dom Peixoto, ser santo é não duvidar do amor de Deus e muito menos agir com violência, revidando atitudes de maldade, pois é necessário ter a capacidade de agir com misericórdia e amor, superando conflitos e desavenças, agindo para defender um mundo de paz.
Conforme o Bispo, a santidade deve caminhar ao lado da justiça na construção do reino de Deus, pois "quem se ajusta à vontade soberana de Deus, tem lugar em seu reino".

Finalizando seu artigo, Dom Peixoto observa que o mundo, com seus "contra valores da cultura moderna", não reconhece "o valor e a dignidade de quem participa da filiação divina", ou seja, os "valores de eternidade", o que implica na "fidelidade de quem acredita na mensagem de Jesus Cristo, caminho de santidade e de vida autenticamente feliz". (LMI)

Evangelho Diário

Santo do dia: Santo Afonso Rodríguez, religioso
Cor litúrgica: verde
Evangelho do dia: São Lucas 13, 31-35
Primeira leitura: Romanos 8, 31-39
Leitura da carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 31bSe Deus é por nós, quem será contra nós? 32Deus que não poupou seu próprio filho, mas o entregou por todos nós, como não nos daria tudo junto com ele? 33Quem acusará os escolhidos de Deus? Deus, que os declara justos? 34Quem condenará? Jesus Cristo, que morreu, mais ainda, que ressuscitou, e está, à direita de Deus, intercedendo por nós? 35Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada? 36Pois é assim que está escrito: 'Por tua causa somos entregues à morte, o dia todo; fomos tidos como ovelhas destinadas ao matadouro'. 37Mas, em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou! 38Tenho a certeza que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os poderes celestiais, nem o presente nem o futuro, nem as forças cósmicas, 39nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus
Salmo 108 (109)

- Agi a meu favor, ó Senhor Deus, por amor do vosso nome, libertai-me, pois, vossa lealdade é benfazeja! Necessitado e infeliz, eis o que sou, dentro de mim meu coração está ferido!
R: Salvai-me, Senhor, segundo a vossa bondade!

- Senhor, meu Deus, vinde ajudar-me e salvar-me, segundo vosso amor e compaixão. Para que nisso reconheçam vossa mão, e saibam que sois vós que o fizestes!
R: Salvai-me, Senhor, segundo a vossa bondade!

- Celebrarei o meu Senhor em alta voz, em meio à multidão hei de louvá-lo. Pois ele defende o indigente e o salva daqueles que condenam sua alma.
R: Salvai-me, Senhor, segundo a vossa bondade!
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 13, 31-35

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Bendito é o rei que vem em nome do Senhor! Glória a Deus nos altos céus e na terra paz aos homens! (Lc 19, 38; 2, 14)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

31Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disseram a Jesus: 'Tu deves ir embora daqui, porque Herodes quer te matar.' 32Jesus disse: 'Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho. 33Entretanto, preciso caminhar hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém. 34Jerusalém, Jerusalém! Tu que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintainhos debaixo das asas, mas tu não quiseste! 35Eis que vossa casa ficará abandonada. Eu vos digo: não me vereis mais, até que chegue o tempo em que vós mesmos direis: Bendito aquele que vem em nome do Senhor.'

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

CONVITE DE MISSA




Convidamos todo povo de Deus para participar da missa de finados que será celebrada no Cemitério Público de nossa cidade, no dia 02 de novembro do corrente ano às 06h30min da manhã, neste sábado.

Desde já agradecemos a todos que comparecerem a este ato de fé e solidariedade humana e cristã!

Evangelho Diário

Santo do dia: Beato Ângelo de Acri, presbítero
Cor litúrgica: verde
Evangelho do dia: São Lucas 13, 22-30
Primeira leitura: Romanos 8, 26-30
Leitura da carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 26Também, o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemido inefáveis. 27E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intençóo do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos. 28Sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados para a salvação, de acordo com o projeto de Deus. 29Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor desde sempre, a esses ele predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos. 30E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos; e aos que tornou justos, também os glorificou.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus
Salmo 12 (13)

- Olhai, Senhor, meu Deus, e respondei-me! Não deixeis que se me apague a luz dos olhos e se fechem, pela morte, adormecidos! Que o inimigo não me diga: 'Eu triunfei!' Nem exulte o opressor por minha queda.
R: Senhor, eu confiei na vossa graça!


- Uma vez que confiei no vosso amor! Meu coração, por vosso auxílio, rejubile, e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!
R: Senhor, eu confiei na vossa graça!
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 13, 22-30
- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Pelo evangelho o Pai nos chamou, a fim de alcançarmos a glória de nosso Senhor Jesus Cristo (2Ts 2, 14)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo: 22Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. 23Alguém lhe perguntou: 'Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?' Jesus respondeu: 24'Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão. 25Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós, do lado de fora, começareis a bater, dizendo: `Senhor, abre-nos a porta!' Ele responderá: `Não sei de onde sois.' 26Então começareis a dizer: `Nós comemos e bebemos diante de ti, e tu ensinaste em nossas praças!' 27Ele, porém, responderá: `Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!' 28Ali haverá choro e ranger de dentes,quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas no Reino de Deus, e vós, porém, sendo lançados fora. 29Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. 30E assim há últimos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos.'

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Em sagração episcopal, Papa diz que "Um bispo que não reza termina no mundanismo"

Cidade do Vaticano - (Quinta-feira, 24-10-2013, Gaudium Press) - "Um bispo que não reza não está mais que na metade do caminho, ele termina no mundanismo."
sacerdotes.jpg
O Papa Francisco fez esta advertência durante a missa que celebrou na quinta-feira, à tarde, na Basílica de São Pedro por ocasião da sagração episcopal de dois colaboradores da Secretaria de Estado nomeados por ele mesmo: Dom Jean Mary Speich, Núncio Apostólico em Gana e Giampiero Gloder, presidente da Pontifícia Academia Eclesiástica.
Ao ler o texto da homilia previsto para este rito de ordenação, o Papa acrescentou que "o episcopado é o nome de um serviço e não uma honra: o Bispo deve servir mais que dominar". "Sempre o serviço: pregar o Evangelho, em todas as ocasiões. oportunas ou inoportunas".
O Papa dirigiu-se aos dois novos bispos, lembrando-lhes que devem estar sempre à disposição dos sacerdotes, dos fiéis e de todos aqueles que precisam deles. O Papa ainda pediu-lhes para rezar também por aqueles "que não estão no rebanho de Cristo, porque eles também lhes são confiados". (JSG)

“Fomos refeitos em Cristo. O sangue de Cristo nos regenerou”, afirma Papa

de do Vaticano (Quinta-feira, 24-10-2013, Gaudium Press) Durante sua homilia na Casa Santa Marta, no Vaticano, na manhã desta quinta-feira, 24, o Papa Francisco afirmou aos fiéis presentes que "todos os cristãos batizados são chamados a caminhar rumo à santificação", pois "Cristo realizou em nós uma 'segunda criação'".
papa-francisco.jpg
"Fomos refeitos em Cristo. O sangue de Cristo nos regenerou. Trata-se de uma segunda criação. Antes, toda a nossa vida, o nosso corpo, a nossa alma, os nossos costumes estavam na estrada do pecado, da iniquidade. Nesta nova criação, devemos esforçar-nos para caminhar em direção à justiça e à santificação", exortou.

O Pontífice explicou que, viver como cristão é continuar na Fé em Cristo, na sua recriação, pois com ela, realizamos a "obra de santificação", que recebemos no Batismo.
Para o Santo Padre, o sacramento da Penitência nos ajuda a sarar das nossas imperfeições e fraquezas.

Finalizando, o Papa alentou os presentes na Missa dizendo:
"É preciso deixar de lado tudo aquilo que nos distancia de Jesus Cristo e refazer tudo do início. Tudo é novidade em Cristo. Tantos outros cristãos fizeram a mesma coisa, tantos santos, até aqueles anônimos, que vivem o cristianismo seriamente. Todos nós fomos santificados pelo sangue de Cristo", concluiu. (LMI)

Evangelho

Santo do dia: Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, presbítero; Beato Recaredo Centelles Abad, presbítero e mártir
Cor litúrgica: branco
Evangelho do dia: São Lucas 12, 54-59
Primeira leitura: Romanos 7, 18-25
Leitura da carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 18Estou ciente que o bem não habita em mim, isto é, na minha carne. Pois eu tenho capacidade de querer o bem, mas não de realizá-lo. 19Com efeito, não faço o bem que quero, mas faço o mal que não quero. 20Ora, se faço aquilo que não quero, então já não sou eu que estou agindo, mas o pecado que habita em mim. 21Portanto, descubro em mim esta lei: Quando quero fazer o bem, é o mal que se me apresenta. 22Como homem interior ponho toda a minha satisfação na lei de Deus; 23mas sinto em meus membros outra lei, que luta contra a lei da minha razão e me aprisiona na lei do pecado, essa lei que está em meus membros. 24Infeliz que eu sou! Quem me libertará deste corpo de morte? 25aGraças sejam dadas a Deus, por Jesus Cristo, nosso Senhor.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus
Salmo 118 (119)
- Dai-me bom senso, retidóo, sabedoria, pois tenho fé nos vossos santos mandamentos!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

- Porque sois bom e realizais somente o bem, ensinai-me a fazer vossa vontade!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

- Vosso amor seja um consolo para mim, conforme a vosso servo prometestes.
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

- Venha a mim o vosso amor e viverei, porque tenho em vossa lei o meu prazer!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

- Eu jamais esquecerei vossos preceitos, por meio deles conservais a minha vida.
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

- Vinde salvar-me, ó Senhor, eu vos pertenço! Porque sempre procurei vossa vontade.
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12, 54-59
- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11, 25)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:
Naquele tempo: 54Jesus dizia às multidões: 'Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. 55Quando sentis soprar o vento do sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. 56Hipócritas! Vós sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis interpretar o tempo presente? 57Por que não julgais por vós mesmos o que é justo? 58Quando, pois, tu vais com o teu adversário apresentar-te diante do magistrado, procura resolver o caso com ele enquanto estais a caminho. Senão ele te levará ao juiz, o juiz te entregará ao guarda, e o guarda te jogará na cadeia. 59Eu te digo: daí tu não sairás, enquanto não pagares o último centavo.'
- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor. 
Comentário do dia: Concílio Vaticano II 
Constituição sobre a Igreja no mundo contemporâneo, «Gaudium et spes», §§ 1-2, 4, 10

Discernir os sinais dos tempos
As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo; e não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no seu coração. Porque a sua comunidade é formada por homens que, reunidos em Cristo, são guiados pelo Espírito Santo na sua peregrinação em demanda do reino do Pai, e receberam a mensagem da salvação para a comunicar a todos. Por este motivo, a Igreja sente-se real e intimamente ligada ao gênero humano e à sua história. Por isso, o Concílio Vaticano II […] não hesita agora em dirigir a sua palavra, não já apenas aos filhos da Igreja e a quantos invocam o nome de Cristo, mas a todos os homens. […]

Para levar a cabo esta missão, é dever da Igreja investigar a todo o momento os sinais dos tempos, e interpretá-los à luz do Evangelho; para que assim possa responder, de modo adaptado em cada geração, às eternas perguntas dos homens acerca do sentido da vida presente e da futura […]. É por isso necessário conhecer e compreender o mundo em que vivemos, as suas esperanças e aspirações, e o seu carácter tantas vezes dramático. […] Marcados por circunstâncias tão complexas, muitos dos nossos contemporâneos são incapazes de discernir os valores verdadeiramente permanentes e de os harmonizar com os recém-descobertos. Daí que, agitados entre a esperança e a angústia, se sintam oprimidos pela inquietação, quando se interrogam acerca da evolução atual dos acontecimentos. Mas esta desafia o homem, força-o até a uma resposta. […]

A Igreja, pela sua parte, acredita que Jesus Cristo, morto e ressuscitado por todos, oferece aos homens pelo seu Espírito a luz e a força para poderem corresponder à sua altíssima vocação […]. Acredita também que a chave, o centro e o fim de toda a história humana se encontram no seu Senhor e mestre.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Na Audiência Geral, Papa indica: "Maria imagem e modelo da Igreja"


Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 23-10-2013, Gaudium Press) - Peregrinos de diversos países estiveram hoje na Praça São Pedro para rezar com o Papa e ouvir suas palavras proferidas tradicionalmente nas quartas-feiras na Audiência Geral.
papa_francisco_destaque.jpg
O Santo Padre deu continuidade a suas reflexões sobre a Igreja. Hoje ele ressaltou especialmente a figura de Nossa Senhora indicando-a como imagem e modelo da Igreja.

O documento conciliar Lumen Gentium, que diz: "Como Santo Ambrósio ensinava, a Mãe de Deus é a figura da Igreja na ordem da fé, da caridade e da perfeita união com Cristo", foi o ponto de partida para suas considerações.
Foram apresentados, então, três aspectos de Nossa Senhora, em âmbito eclesial: Maria como "modelo de fé", "modelo de caridade" e "modelo de união com Cristo".

"Em que sentido Maria representa um modelo de fé para a Igreja? Perguntou o Pontífice, para ele mesmo responder:
"A fé de Maria é o cumprimento da fé de Israel e, neste sentido, ela é modelo de fé da Igreja, que tem como centro Cristo, encarnação do amor infinito de Deus. A sua fé, porém, recebe uma luz nova quando o anjo Lhe anuncia: "Tu serás a Mãe do Redentor". Nela se cumpre a fé de Israel".

O Papa Francisco mostrou o segundo aspecto: "Maria, modelo de Caridade" no seio da Igreja, fazendo novamente uma pergunta: Em que modo a Virgem Maria é exemplo vivo de amor? Pensemos em sua disponibilidade na visita a sua prima Santa Isabel: ela trazia em seu seio o Filho de Deus.

"Nossa Senhora quer levar, também a todos nós, o grande dom que é Jesus e, com ele, nos traz o seu amor, a sua paz, a sua alegria. Assim, também a Igreja é enviada a levar Cristo e o seu Evangelho a todos", afirmou o Papa.
Na verdade, a principal ajuda que Igreja é enviada a levar aos homens é Cristo: ela não anuncia a si mesma, mas anuncia o amor de Cristo, que renova o mundo. A Igreja aprende isto, pelo exemplo do amor de Maria, mostrou o Pontífice.

O Santo Padre falou sobre o terceiro aspecto de Maria como modelo: ela é "modelo de união com Cristo". O Papa ensinou que Nossa Senhora vive imersa no mistério de Deus feito homem, como sua primeira e perfeita discípula, meditando tudo no seu coração, à luz do Espírito Santo, para compreender e pôr em prática toda a vontade de Deus.

O Santo Padre continuou sua homilia, afirmando que Maria nos ensina a estar sempre unidos a Jesus! E, ao encerrar suas palavras, lembrou que toda a ação da Santíssima Virgem, mesmo as mais comuns no dia-a-dia de uma mulher judia, eram realizadas sempre em união perfeita com Jesus e com a vontade do Pai.

Ao final, o Papa abençoou os presentes. (JSG)
Da Redação - Com informações Radio Vaticano

São Lucas Evangelista

São Lucas começa o Evangelho nos seguintes termos: "Visto que muitos já empreenderam por em ordem a narração São Lucas Evangelista.jpgdas coisas que entre nós se cumpriram, como no-las referiram os que, desde o princípio, as viram, e foram ministros da palavra; pareceu-me bom também a mim, excelentíssimo Teófilo, depois de ter investigado diligentemente tudo desde o princípio, escrever-te por ordem a sua narração para que conheças a verdade daquelas coisas em que foste instruído.

O Evangelho de São Lucas é como que o primeiro livro de sua história; os Atos dos Apóstolos constituem o segundo. Por isso, diz no prefácio dos Atos:
"Na primeira narração, ó Teófilo, falei de todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, até ao dia em que, tendo dado preceitos por meio do Espírito Santo aos Apóstolos que tinha escolhido, foi arrebatado ao céu; aos quais também se manifestou vivo, depois da sua Paixão, com muitas provas de que vivia, aparecendo-lhes por quarenta dias, e falando do reino de Deus. E, estando à mesa com eles, ordenou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual ouvistes da minha boca; porque João na verdade batizou em água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo."

Tal é, de acordo com o próprio São Lucas, o conjunto dos dois livros da sua autoria. Quanto ao primeiro, que compreende a história de Jesus Cristo até à sua Ascensão, nem a todos os fatos testemunhou, mas deles ouviu a narração da boca das pessoas que viram Jesus Cristo com os próprios olhos e viveram na sua intimidade. Entre essas testemunhas oculares, inclui-se a Santa Virgem em relação à vida privada do Salvador, e os apóstolos em relação à sua vida pública. Na vida oculta do Salvador se encontra a aparição do anjo Gabriel ao sacerdote Zacarias no santuário do Templo; a revelação de que nasceria de sua mulher Isabel um filho que seria o precursor do Messias; a aparição do anjo do Gabriel a Maria, na casa de Nazaré; a comunicação que ela conceberia do Espírito Santo e daria à luz o próprio Messias, que seria chamado Jesus: a visita de Maria à sua prima Isabel, que nela reconheceu a Mãe do seu Senhor; o Magnificat ou Cântico de Maria para bendizer Deus pelas grandes coisas que operaria nela e por ela; o nascimento de João Batista, o milagre de seu pai Zacarias, que recobrou a palavra para celebrar no Benedictus as misericórdias de Deus de Israel sobre os homens, em particular sobre a criança que acabava de nascer; a viagem da santa família de Nazaré, o nascimento do Salvador num estábulo; os anjos que o anunciam aos pastores e cantam a Glória in Excelsis; os pastores que vem adorá-lo no presépio; o nome de Jesus, que lhe foi dado no dia da Circuncisão; a apresentação ao templo, onde é resgatado por duas rolas e reconhecido pelo santo velho Simeão, que canta o Nume Dimitris; a peregrinação ao templo de Jerusalém com a idade de doze anos; sua permanência no templo, a volta a Nazaré, onde está sujeito a Maria e a José. São Lucas teve conhecimento pela própria boca da santa Virgem de todos esses divinos mistérios, cuja contemplação transporta de júbilo os anjos. É como se ela mesma os narrasse.

Quanto à vida pública do Salvador, nem os evangelistas, nem os apóstolos a relataram inteiramente. O próprio São João diz no fim do seu Evangelho: "Muitas coisas há que fez Jesus, as quais, se fossem descritas uma por uma, creio que nem no mundo todo poderiam caber os livros que seria preciso escrever. O que cada um dos evangelistas escreveu basta, não simplesmente para fazer-nos conhecer, mas, de acordo com a expressão do texto original de São Lucas, para fazer-nos superconhecer a verdade, a exatidão das coisas que já conhecemos de maneira certa através do ensinamento oral da Igreja. Eis alguns tocantes episódios que devemos a São Lucas:
A história da pecadora que vai à casa do fariseu Simeão prosternar-se aos pés do Salvador, regá-los em lágrimas, e a quem é concedida a remissão dos pecados; a cura de Hemorroisse por haver tocado a fímbria do seu vestido, e aressurreição da filha de Jair; a caridade do Samaritano; a parábola do filho pródigo; a história do mau rico e do pobre Lázaro; a oração do fariseu e a do publicano, a conversão pública de Zacarias, que o recebeu na sua casa, e que dá aos pobres a metade de seus bens.

São Lucas conhecia esses episódios por intermédio daqueles que os tinham testemunhado com seus olhos e ouvidos; pois não pertencia ao número dos primeiros discípulos do Salvador, nem mesmo era judeu de origem, e sim, grego de Antioquia. Foi em grego que escrevei o Evangelho e os Atos dos Apóstolos; seu estilo lembra a elegante simplicidade deSao Lucas_Evangelista.jpg Xenofonte e Heródoto. De resto, um escritor inglês demonstrou que muitas locuções da Bíblia, em particular do Novo Testamento, consideradas hebraísmos, barbarismos, solecismos por certos críticos, são locuções próprias dos poetas e historiadores clássicos dos gregos. Teófilo, a quem São Lucas dedica seus dois livros, e ao qual dá o título de Excelente ou Excelência, parece ter sido cristão de alta posição social.

Os Atos dos Apóstolos, iniciados por São Lucas com a Ascensão de Jesus Cristo, mostram-nos os discípulos e os apóstolos reunidos no cenáculo, cm Maria, Mãe de Jesus; São Pedro fazendo, pela primeira vez, uso da sua autoridade de Vigário de Jesus Cristo e de Chefe da Igreja, na eleição de um novo apóstolo para substituir Judas, o traidor; o Espírito Santo descendo sobre os apóstolos e os discípulos no dia de Pentecostes; São Pedro convertendo três mil almas com uma única pregação, curando um coxo de nascimento, e convertendo cinco mil almas; Pedro e João encarcerados; sua perseverança; nova efusão do Espírito Santo; vida edificante dos primeiros cristãos; Barnabé vende seu campo e dá o dinheiro aos pobres; punição de Ananias e Safira por terem mantido a São Pedro; curas operadas pelos apóstolos, a popularidade dos mesmos apóstolos; a prisão e conseqüente libertação dos apóstolos por um anjo; discurso de Gamaliel no sinédrio; os apóstolos espancados com varas; eleição dos sete diáconos; zelo e poder de Estevão, seu martírio; perseguição dos fiéis; o diácono Filipe na Samaria; Simão, o mágico; o eunuco da rainha Candança batizado por Filipe; conversão de São Paulo; paz na Igreja; Pedro cura o paralítico Enéias, ressuscita a viúva Tabita e batiza o centurião Cornélio, primícias dos gentios; martírio de São Tiago; Pedro libertado da prisão por um anjo; primeiro concílio de Jerusalém, presidido por São Pedro. Na continuação dos Atos São Lucas fala quase só de São Paulo, de quem foi companheiro inseparável, e termina o livro com a prisão desse apóstolo, em Roma.

São Paulo, refere-se várias vezes a São Lucas como a seu fiel cooperador. Saúda os cristãos de Colosso da parte de Lucas, médico, que lhe é muito caro. Alguns escritores antigos também atribuem a este último a qualidade de pintor. São Paulo enviou-o com Tito a Corinto. Depois da morte do Apóstolo, São Lucas pregou o Evangelho em diversos países, entre outros, na Gália. Um antigo martirológio lhe confere os títulos de evangelistas e de mártir. Encerrou a longa carreira na Bitínia, ou, de acordo com outros, na Acaia. Suas relíquias foram transportadas para Constantinopla, e de lá para Pádua. (Padre Rohrbacher, Vida dos Santos, Padre Rohrbacher, Volume XVIII, p. 300 à 306)

Urna com as relíquias de São João Bosco chega a Gênova

Gênova - Itália (Quarta-feira, 23-10-2013, Gaudium Press) Após passar por vários centros significativos da história salesiana, a Urna com as Relíquias de São João Bosco chegaram à cidade de Gênova, onde foi levada à Casa salesiana de Sampierdarena, para ser venerada pela Comunidade local.
dom_angelo_bagnasco_diante_da_urna_com_as_reliquias_de_sao_joao_bosco.jpg
Dom Angelo Bagnasco reza diante da Urna com as Relíquias
de São João Bosco. Foto: ANS
O Arcebispo de Gênova e Presidente da CEI (Conferência Episcopal Italiana), Cardeal Angelo Bagnasco, presidiu uma Solene Eucaristia na Catedral de São Lourenço, na presença das relíquias do Santo Salesiano.

"Hoje é um dia de festa e de graça para a Família Salesiana e para a Diocese: a nossa Catedral acolhe a insígne Relíquia de São João Bosco, a quem a Igreja reza como ‘Pai e Mestre dos Jovens'", disse o purpurado em sua homilia.
 
Recordando a trajetória do Fundador dos Salesianos, o Cardeal Bagnasco observou que "a história de Dom Bosco é uma história simplesmente extraordinária: assim o quis Deus num tempo de especiais dificuldades sociais e culturais. (...) Hoje as circunstâncias são diferentes, mas, como Dom Bosco, também nós sabemos que a alma humana - e especialmente a dos jovens - é inquieta, sempre em busca de algo grande e nobre por que deixar-se fascinar, e pelo qual viver".

Segundo o Arcebispo de Gênova, entre a Evangelização e a educação não deve haver separação, pois "ambas têm em Jesus a fonte de um humanismo autêntico e total".

Ao término de sua homilia, agradeceu aos presentes e os convidou à seguirem o exemplo de São João Bosco "sendo tenazes na busca da santidade, perseverantes no acompanhamento aos jovens, corajosos no indicar o caminho às crianças, adolescentes e jovens, e dotados de humildade e respeito para fazer com que eles se sintam amados".
 (EPC)
Com informações da ANS.

Evangelho

Santo do dia: Santo Antonio Maria Claret, Bispo; São Martinho de Vertou, diácono e abade
Cor litúrgica: verde
Evangelho do dia: São Lucas 12, 49-53
Primeira leitura: Romanos 6, 19-23
Leitura da carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 19Uso uma linguagem humana, por causa da vossa limitação. Outrora, oferecestes vossos membros como escravos para servirem à impureza e à sempre crescente desordem moral. Pois bem, agora, colocai vossos membros ao serviço da justiça, em vista da vossa santificação. 20Quando éreis escravos do pecado, estáveis livres em relação à justiça. 21Que fruto colhíeis, então, de ações das quais hoje vos envergonhais? Pois o fim daquelas açðes era a morte. 22Agora, porém, libertados do pecado, e como escravos de Deus, frutificais para a santidade até a vida eterna, que é a meta final. 23Com efeito, a paga do pecado é a morte, mas o dom de Deus é a vida eterna em Jesus Cristo, nosso Senhor.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus
Salmo 1

- Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar.
R: É feliz quem a Deus se confia!

- Eis que ele é semelhante a uma árvore que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.
R: É feliz quem a Deus se confia!

- Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte.

R: É feliz quem a Deus se confia!
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12, 49-53

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Eu tudo considero como perda e como lixo a fim de ganhar Cristo e ser achado nele! (Fl 3, 8s)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 49Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! 50Devo receber um batismo, e como estou ansioso até que isto se cumpra! 51Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer divisão. 52Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; 53ficarão divididos: o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra.'

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Evangelho

Santo do dia: Beato João Paulo II, Papa; São Donato Scoto, Bispo
Cor litúrgica: verde
Evangelho do dia: São Lucas 12, 35-38
Primeira leitura: Romanos 5, 12.15.17-19.20-21
Leitura da carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 12O pecado entrou no mundo por um só homem. Através do pecado, entrou a morte. E a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram. 15bA transgressão de um só levou a multidão humana à morte, mas foi de modo bem mais superior que a graça de Deus, ou seja, o dom gratuito concedido através de um só homem, Jesus Cristo, se derramou em abundância sobre todos. 17Por um só homem, pela falta de um só homem, a morte começou a reinar. Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só, Jesus Cristo, os que recebem o dom gratuito e superabundante da justiça. 18Como a falta de um só acarretou condenação para todos os homens, assim o ato de justiça de um só trouxe, para todos os homens, a justificação que dá a vida. 19Com efeito, como pela desobediência de um só homem a humanidade toda foi estabelecida numa situação de pecado, assim também, pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situaçóo de justiça. 20bPorém, onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça. 21Enfim, como o pecado tem reinado pela morte, que a graça reine pela justiça, para a vida eterna, por Jesus Cristo, Senhor nosso.

- Palavra do Senhor
- Graças a Deus
Salmo 39 (40)

- Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados, E então eu vos disse: 'Eis que venho!'
R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

- Sobre mim está escrito no livro: Com prazer faço a vossa vontade, guardo em meu coração vossa lei!'
R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

- Boas-novas de vossa justiça anunciei numa grande assembléia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!
R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

- Mas se alegre e em vós rejubile todo ser que vos busca, Senhor! Digam sempre: 'É grande o Senhor!' os que buscam em vós seu auxílio.
R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12, 35-38
- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Vigiai e orai para ficardes de pé ante o Filho do homem! (Lc 21, 36)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrir em, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor
Comentário do dia: São Gregório de Nissa (c. 335-395)
Monge, Bispo 

Sermões sobre o Cântico dos Cânticos, n°11, 1; PG 44, 996

«Com os cintos apertados e as lâmpadas acesas»
É para que o nosso espírito se liberte de todas as miragens que o Verbo nos convida a sacudir dos olhos da alma este sono pesado, para que não escorreguemos para fora das realidades verdadeiras agarrando-nos ao que não tem consistência. É por isso que nos propõe a imagem da vigilância, dizendo-nos: «Estejam apertados os vossos cintos e acesas as vossas lâmpadas.» O sentido destes símbolos é bem claro: aquele que está cingido pela temperança vive na luz de uma consciência pura, porque a confiança filial ilumina a sua vida como uma lâmpada; iluminada pela verdade, a sua alma desembaraça-se do sono da ilusão, pois nenhum pensamento vão a desvia do seu caminho.

São eles, com efeito, que esperam o Senhor no regresso das bodas, e que se sentam às portas do céu com olhos vigilantes, para que o Rei glorioso (Sl 23,7) ali possa passar de novo, quando regressar das bodas e entrar na bem-aventurança que está no alto dos céus. Saindo dali «como um esposo do seu leito» (Sl 18,6) […], Ele uniu a Si, qual virgem, a nossa natureza que se prostituíra aos ídolos, tendo-a restituído à sua integridade virginal pela regeneração sacramental. As bodas completaram-se nesse momento, pois a Igreja foi desposada pelo Verbo […] e, introduzida na câmara dos mistérios, os anjos esperavam o regresso do Rei da glória para a bem-aventurança que é conforme à sua natureza.

Eis porque o texto diz que a nossa vida deve ser semelhante à dos anjos. Tal como eles vivem longe do vício e da ilusão, prontos a receber a parúsia do Senhor, devemos igualmente ficar vigilantes à porta da nossa morada e manter-nos prontos para obedecer, quando Ele vier bater-nos à porta
.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Sonho de Santa Faustina com Santa Teresinha do Menino Jesus

Santa Faustina
“Quero anotar um sonho que tive a respeito de Santa Teresinha do Menino Jesus. Eu era ainda noviça e tinha certas dificuldades, que não conseguia superar. .
Tratava-se de obstáculos interiores, mas que se relacionavam com dificuldades exteriores. Fiz novenas a vários Santos, mas a situação tornava-se cada vez mais difícil.
.
Os meus sofrimentos eram tão grandes que já não sabia como continuar a viver. De repente, veio-me a idéia de rezar a Santa Teresinha do Menino Jesus. Comecei uma novena a essa Santa, pois já antes do ingresso no Convento tinha uma grande devoção a ela.
.
Agora me descuidei um pouco dela, mas, nessa necessidade, novamente, comecei a rezar com todo fervor. No quinto dia da novena sonhei com Santa Teresinha, mas como se ela ainda estivesse na Terra.
.
Ocultou diante de mim a circunstância de ela ser Santa e começou a consolar-me, para que eu não ficasse tão triste por causa desse problema, mas confiasse mais em Deus.
.
Afirmava-me: “Também eu sofri muito”, e eu não acreditava que ela houvesse sofrido muito e disse-lhe então:” A mim me parece nada haver sofrido”.
.
Santa Teresinha
Mas Santa Teresinha respondeu convencendo-me de que sofria muito e disse-me: “Dentro de três dias, a Irmã verá que esse problema será resolvido da melhor maneira”. .
Quando eu não queria acreditar muito nela, então ela se deu a conhecer, dizendo que era uma santa. Neste momento, minha alma encheu-se de alegria e perguntei-lhe: Você é uma santa”, e ela me respondeu que sim: “Sou uma santa e confie que o seu problema se resolverá no terceiro dia.”
.
E eu disse a ela: “Santa Teresinha, diga-me irei para o céu?” – Respondeu-me: “A irmã irá para o céu”. – “E serei santa?” – Respondeu-me: “ A irmã será santa”.
.
Mas, Teresinha, eu serei uma santa como você, nos altares?” E ela me respondeu: “Sim, você será uma santa como eu, mas deve confiar muito em Jesus”.
.
E perguntei-lhe se meu pai e minha mãe irão para o céu – respondeu-me: Irão. E continuei a perguntar: “E as minhas irmãs e meus irmãos também irão para o Céu? – Respondeu-me que rezasse muito por eles e não me deu uma resposta certa. Compreendi que necessitavam, de muitas orações. (p.71).

Evangelho

Santo do dia: Beata Laura de Santa Catarina de Sena Montoya y Upeguí, virgem
Cor litúrgica: verde
Evangelho do dia: São Lucas 12, 13-21
Primeira leitura: Romanos 4, 20-25
Leitura da carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 20Diante da promessa divina, Abraão não duvidou por falta de fé, mas revigorou-se na fé e deu glória a Deus, 21convencido de que Deus tem poder para cumprir o que prometeu. 22Esta sua atitude de fé lhe foi creditada como justiça. 23Afirmando que a fé lhe foi creditada como justiça, a Escritura visa não só à pessoa de Abraão, mas também a nós, pois a fé será creditada também para nós que cremos naquele que ressuscitou dos mortos Jesus, nosso Senhor. 25Ele, Jesus, foi entregue por causa de nossos pecados e foi ressuscitado para nossa justificação.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus
Salmo Lc 1
- Fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos.
R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

- Para salvar-nos do poder dos inimigos e da móo de todos quantos nos odeiam. Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança.


R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

- E o juramento a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.
R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!
Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12, 13-21
- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Felizes os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus (Mt 5, 3)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:
Naquele tempo: 13Alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: 'Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo.' 14Jesus respondeu: 'Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?' 15E disse-lhes: 'Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens.' 16E contou-lhes uma parábola: 'A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: 'O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita'. 18Então resolveu: 'Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: - Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!' 20Mas Deus lhe disse: 'Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?' 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus.'
- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Faculdade da Arquidiocese de Brasília inicia curso de Teologia

lia (Quinta-feira, 17-10-2013, Gaudium Press) A Faculdade de Teologia da Arquidiocese de Brasília (FATEO) abriu as inscrições para o Curso Superior de Teologia até o dia 12 de novembro.

fateo__teologia_2013.jpg
Com duração de três anos, o Bacharelado em Teologia contará com com aulas de segunda a sexta-feira, além de um corpo docente formado por mestres e doutores especializados na área.

De acordo com a assessoria da FATEO, o intuito do curso é "oferecer aos cristãos católicos uma formação teológica de nível superior", embasada na revigoração da Fé e no testemunho cristão.
O processo seletivo acontecerá no dia 22 de novembro, das 19h às 22h.

As avaliações serão constituídas em Comunicação e Expressão em Língua Portuguesa (incluindo uma redação sobre algum tema a ser sorteado); Cultura religiosa básica, fundada na Fé católica; e conhecimentos gerais.

Os aprovados deverão se matricular entre os dias 05 e 10 de dezembro deste ano.
O início das aulas está previsto para o dia 17 de fevereiro de 2014.
 (LMI)
Com informações Arquidiocese de Brasília